Emoção marca os 50 anos do ‘Lanchão’ em Franca

Com seus 88 anos e mesmo caminhando com certa dificuldade, o médico e ex-prefeito José Lancha Filho fez questão de estar presente na manhã da última terça-feira, 9, no estádio municipal que leva o seu nome, para participar da programação comemorativa de meio século daquela construção em tempo recorde. Um pouco antes de se dirigir ao interior do gramado, onde seria recebido pelo prefeito Gilson de Souza e colaboradores, Dr. Lancha contou alguns detalhes curiosos desse projeto nascido da expectativa da A.A. Francana de ascender à Divisão Especial do futebol de São Paulo e das exigências feitas pela Federação Paulista.

O médico disse que o terreno havia sido destinado à Associação Atlética Francana, pelo torcedor e dirigente do clube, Vinícius Seixas Costa, porém seu antecessor, saudoso Hélio Palermo o incorporou à Prefeitura, encheu o imóvel com caminhões de terra e ao assumir a administração, sentiu-se na obrigação de tocar a obra. A Francana estava em vias de subir e umas condições da FPF é que tivesse um estádio de 15 mil lugares. Foi daí que veio o arrojo de mobilizar a equipe de cerca de 146 servidores braçais que a Prefeitura dispunha na época e mais alguns colaboradores e colocar a mão literalmente na massa.

O resultado de tento esforço foi que em 88 dias o estádio, no seu formato atual, estava pronto. Mais tarde, diria Lancha, ‘fizemos uma negociação com o então secretário Estadual de Turismo, Orlando Zancaner e conseguimos também os refletores do estádio, numa permuta que envolveu a cidade de São José dos Campos’. Hoje, meio século depois, Lancha Filho relatou ser um privilégio poder testemunhar ao lado da esposa Iris (que todos os sábados fazia paneladas de bolos e levava para os trabalhadores), dos filhos, netos e alguns amigos que também fizeram parte dessa história.

Minutos mais tarde, visivelmente emocionado, seguindo para o interior do gramado onde crianças de categorias infantis disputavam jogos amistosos, o médico recebeu do prefeito uma placa comemorativa dos 50 anos da construção do estádio e uma camiseta com o selo. Junto ouviu palavras de reconhecimento pela ousaria de Gilson de Souza e do radialista Jovassi  Corrêa e ao falar reforçou o que dissera antes sobre a história da construção do estádio.

Junto com o Dr. Lancha, também presenteado com uma camiseta contendo o selo dos 50 anos, foram homenageados ex-atletas como Baianinho, Zé Marcos, Nilton, Sanguíneo, Tutu e comunicadores da imprensa local presentes na cerimônia.

Fotos: Divulgação

Sobre o autor

Posts Relacionados

Deixe um comentário

*