Franca é a cidade que mais abriu vagas de emprego em 2015 no Brasil

Foto Ilustrativa Divulgação

Franca foi a cidade que mais abriu vagas de emprego no Brasil, de janeiro a julho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na última sexta-feira. No período, as empresas francanas contrataram 5.529 profissionais.

De acordo com Deyvid Alves da Silveira, diretor de Indústria, Comércio e Serviços, da Prefeitura, esse resultado se deve a vários fatores que têm movimentado a economia da cidade. “O empreendedorismo local é um dos grandes responsáveis por esse resultado. Em 2009, tínhamos 22 mil CNPJ’s. Em 2015, esse número passou para 43 mil, ou seja, quase dobrou o número de empreendimentos geradores de empregos, o que também significa que são mais pessoas tendo renda, a partir de seu próprio negócio. Um segundo fator é termos uma população economicamente ativa muito elevada – cerca de 60% da população de Franca está na faixa entre 15 e 49 anos, que estão trabalhando, produzindo e consumindo, além de 20% entre 0 e 14 anos, que geram necessidades de consumo e serviços dentro  da economia. Em terceiro lugar, citamos a diversificação econômica ocorrida nos últimos anos. Saímos de uma economia em que se concentrava mais de 50% de sua mão de obra na indústria calçadista. Hoje, o setor mantém entre 28 mil a 30 mil funcionários, representando perto de 30% do emprego de mão de obra da cidade. Percebemos uma evolução dos níveis dos setores de comércio e serviços, bem como o surgimento de indústrias emergentes como confecção, alimentícios e químico cosmético”, explica Silveira.

Segundo ele, o município, que tem mais de 340 mil habitantes, de acordo com estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), está na contramão do cenário nacional, já que o país perdeu mais de 50 mil postos de trabalho neste ano. “Todos os setores estão buscando maneiras de inovar e se destacar no mercado, com seus produtos e serviços e, principalmente, buscar novos mercados, a exemplo da indústria calçadista, que aproveita o momento de câmbio favorável para exportar para países e mercados antes não alcançados”, destacou Silveira.

Há dois meses sem emprego, o vigilante Edilson Messias, de 49 anos, saiu em busca de uma oportunidade de trabalho. Em menos de um mês, ele conseguiu emprego em uma emissora de televisão. “Um amigo falou para mim para eu ir até o PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador), que eu conseguiria um emprego. Chegando lá, cadastrei meu currículo, participei do programa Time do Emprego, que qualifica a gente para o mercado de trabalho, e dentro de 30 dias, eu consegui o emprego como porteiro. Participei da entrevista, fiz os exames admissionais e levei todos os meus documentos. Hoje, estou feliz porque estou trabalhando registrado, recebo o benefício do cartão alimentação e tenho convênio médico. É tudo que eu preciso para ter mais qualidade de vida”, diz Messias.

 

Fonte: Imprensa/Prefeitura de Franca
Foto: Ilustrativa/Divulgação

Sobre o autor

Posts Relacionados

Deixe um comentário

*