Prefeito assina convênios com hospitais e fala de flexibilizações em Franca

O prefeito Gílson de Souza concedeu entrevista coletiva na tarde de ontem, quinta-feira, no recinto do Parque Fernando Costa, ocasião em que expôs em linhas gerais a situação da Covid-19 na cidade e assinou dois convênios com hospitais locais, autorizando o repasse de mais de R$ 2,5 milhões destinados a tratamento da pandemia. Um deles com a Santa Casa de Misericórdia, no valor de R$ 1,367 milhões e outro com o Hospital da Caridade ‘Dr. Ismael Alonso y Alonso’, de R$ 1,2 milhão, cujos valores serão pagos a cada uma das instituições em 3 parcela iguais. Esse compromisso é prorrogável por igual período se houver necessidade.

Momentos antes de receber os profissionais de imprensa, o prefeito e auxiliares participou de um encontro com lideranças religiosas, discutindo as possibilidades ante as novas orientações do Governo do Estado, de reabrirem as igrejas para os cultos. Isso deverá estar ocorrendo a partir da segunda-feira, dia 1º, desde que sejam obedecidos os protocolos sanitários, com controle de entrada, acesso limitado nos ambientes, uso de máscaras e distanciamento seguro.

Dos diversos representantes religiosos o prefeito ouviu que estão preparados, com protocolos seguros e prontos para serem colocados em prática, inclusive fracionando as celebrações em diversos horários por dia, de modo a diminuir a presença de pessoas. As normas disciplinando esse funcionamento estarão contidas no novo Decreto que o prefeito assegurou, será publicado neste sábado no Diário Oficial e que está em fase de elaboração. Algumas particularidades estão na dependência do que sair no Decreto Estadual, que deve ser publicado nesta sexta-feira.

Atualização de informações

Uma outra preocupação do prefeito Gílson de Souza, é fazer com que o Estado atualize alguns informes técnicos da estrutura hospitalar da cidade e reclassifique-a, do estágio ‘2 para o 3 ou 4” (da laranja para amarela), já que grande parte dos dados relacionados a leitos de UTIs que não foram considerados, estavam disponíveis, mas faltava apenas o credenciamento Estadual,  medida agora já formalizada. Somando-se a isso, devem ser acrescentados os 40 leitos conveniados com a Santa Casa e Hospital da Caridade, cujo documento foi assinado na ocasião. Gílson também deu números dos 32 leitos clínicos reservados pela Prefeitura no Pronto Socorro ‘Álvaro Azzuz’ e outros 10 infantis, no PSI e 34 outros, sendo 10 de UTIs e 24 clínicos, que vem pleiteando junto ao Governo Estadual.

Agradecimentos

Ainda durante a coletiva o prefeito enfatizou o importante apoio da imprensa na divulgação dos fatos relacionados a Covid-19, a compreensão da população que também está entendendo a gravidade da situação e está ajudando. “Meu agradecimento a todos, estamos junto nessa luta’, diss. A flexibilização do comércio ainda mais, reabrindo suas portas com as cautelas recomendadas, está no radar municipal como prioridade e deve ser detalhada no novo Decreto que está sendo finalizado, em sintonia com o que foi editado pelo Estado.

Havendo a mudança de classificação de Franca para a chamada faixa 3 de imediato, conforme o pleiteado na atualização das informações, o leque das atividades que poderão reabrir será bem maior. O prefeito reproduziu os informes do último Boletim da Vigilância, apontando 103 registros positivos, com dois óbitos, já que o terceiro foi considerado importado, de um paciente vindo de São Tomás de Aquino. Quanto ao que vai poder ou não abrir e as condições, isso será exposto com maior clareza e os cuidados protocolares com a edição das novas diretrizes no Decreto que será publicado neste dia 30.

Sobre o autor

Posts Relacionados

Deixe um comentário

*